quinta-feira, 22 de março de 2012

Deus tem uma resposta


Ele Sempre Tem Uma Resposta! Deus sempre tem uma resposta certa para todas as coisas negativas que dizemos a nós mesmos...

Você diz: Isso é impossível.
Deus diz: TODAS AS COISAS SÃO POSSÍVEIS. - Lc 18:27

Você diz: Estou muito cansado.
Deus diz: EU TE DAREI DESCANSO. - Mt 11:28

Você diz: Ninguém me ama de verdade.
Deus diz: EU TE AMO. - Jo 3:16 e 13:34

Você diz: Não consigo ir em frente.
Deus diz: MINHA GRAÇA TE BASTA. - 2 Co 12:9; Sl 91:15

Você diz: Eu não consigo perceber as coisas.
Deus diz: EU DIRIGIREI SEUS PASSOS. Jr 3:5,6

Você diz: Eu não consigo fazer isso.
Deus diz: VOCÊ PODE TODAS AS COISAS. - Fp 4:13

Você diz: Eu não sou capaz.
Deus diz: EU SOU CAPAZ. - 2 Co 9:8

Você diz: Isso não vai valer a pena.
Deus diz: ISSO VALERÁ A PENA. - Rm 8:28

Você diz: Não consigo me perdoar.
Deus diz: EU PERDÔO VOCÊ. - 1 Jo 1:9 e Rm 8:1

Você diz: Não consigo o que quero.
Deus diz: EU SUPRIREI TODAS AS SUAS NECESSIDADES. - Fp 4:19

Você diz: Estou com medo.
Deus diz: EU NÃO TENHO TE DADO UM ESPÍRITO DE COVARDIA. - 2 Tm 1:7

Você diz: Estou sempre preocupado e frustrado.
Deus diz: LANÇA TODA SUA ANSIEDADE EM MIM. - 1 Pe 5:7

Você diz: Eu não tenho fé suficiente.
Deus diz: EU TENHO DADO A CADA UM UMA MEDIDA DE FÉ. - Rm 12:3

Você diz: Eu não sou inteligente suficiente
Deus diz: EU TE DOU SABEDORIA - 1 Co 1:30

Você diz: Eu me sinto sozinho.
Deus diz: EU NUNCA TE DEIXAREI, NEM TE DESAMPARAREI. - Hb 13:5

Esteja certo: Jesus Cristo TE AMA!!!

terça-feira, 20 de março de 2012

Culpado ou inocente?

Conta uma antiga lenda que na Idade Média um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher. Na verdade, o autor do crime era pessoa influente do reino e, por isso, desde o primeiro momento se procurou um "bode expiatório" para acobertar o verdadeiro assassino.

O homem foi levado a julgamento, já temendo o resultado: a forca. Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas chances de sair vivo desta história.

O juiz, que também foi comprado para levar o pobre homem à morte, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado para que este provasse sua inocência.

- Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor: vou escrever num pedaço de papel a palavra INOCENTE e no outro pedaço a palavra CULPADO. Você sorteará um dos papéis e aquele que sair será o veredito. O Senhor decidirá seu destino - determinou o juiz.

Sem que o acusado percebesse, o juiz preparou os dois papéis, mas em ambos escreveu CULPADO de maneira que, naquele instante, não existia nenhuma chance de o acusado se livrar da forca. Não havia alternativas para o pobre homem. O juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O homem pensou alguns segundos e, percebendo a "pegadinha" contra sua vida, aproximou-se confiante da mesa, pegou um dos papéis e rapidamente colocou na boca e engoliu. Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem.

- Mas o que você fez? E agora? Como vamos saber o seu veredito?

- É muito fácil. - respondeu o homem - Basta olhar o outro pedaço que sobrou e saberemos que acabei engolindo o contrário. Imediatamente o homem foi liberado.

"Por mais difícil que seja uma situação, não deixe de acreditar até o último momento. Saiba que, para qualquer problema, há sempre uma saída. Não desista, não entregue os pontos, não se deixe derrotar. Vá em frente apesar de tudo e de todos... creia você já é mais que vencedor em Crsto Jesus!!!"

quarta-feira, 14 de março de 2012

Você sabia que Bob Marley se converteu antes de morrer?

Bob Marley aceitou Jesus e foi batizado sete meses antes de morrer
Funeral do cantor foi precedido por um culto com louvores a Deus


Robert Nesta Marley, ou simplesmente Bob Marley, morreu em 21 de maio de 1981. Seu pesado caixão de bronze foi levado para o topo da colina mais alta da vila Nine Mile, onde, 36 anos antes, ele havia nascido.Juntamente com o corpo embalsamado de Marley, estavam no caixão a sua guitarra vermelha Gibson Les Paul e uma Bíblia aberta no Salmo 23.


No final da cerimônia, sua viúva, Rita, jogou um pé de maconha.O funeral foi precedido de um culto de uma hora de duração para a família e amigos íntimos na Igreja Ortodoxa Etíope da Santíssima Trindade, celebrado por Abuna Yesehaq, arcebispo da Igreja no hemisfério ocidental. Ele contou que havia batizado Marley em Nova York, em novembro do ano anterior, logo após seus últimos shows no Madison Square Garden. Seguindo a tradição etíope, Bob recebeu um novo nome durante o batismo: Berhane Selassie, ou “Luz da Trindade”.

Logo após as 11 da manhã, o culto começou com um hino anglicano, “Ó Deus, nossa ajuda em épocas passadas”, acompanhado pelos percussionistas da United Africa Band. Como a melodia do antigo hino, o arcebispo, leu passagens do Livro de João, em Ge’ez, uma antiga língua da Etiópia.


O governador-geral da Jamaica leu um trecho de 1 Coríntios: “O último inimigo a ser destruído é a morte” A congregação cantou outro hino conhecido, “Quão Grande És Tu”. Logo depois, foi lido parte de 1 Tessalonicenses 3: “Por esta razão, irmãos, ficamos consolados acerca de vós, em toda a nossa aflição e necessidade, pela vossa fé, Porque agora vivemos, se estais firmes no Senhor”.

O ritual fúnebre tipicamente cristão parece estranho para alguém que ficou mundialmente conhecido por ser seguidor do rastafarismo, seita tipicamente jamaicana que proclama Hailê Selassiê I, imperador da Etiópia, como a representação terrena de Jah (Deus). O termo rastafári tem sua origem em Ras (“príncipe” ou “cabeça”) Tafari (“da paz”) Makonnen, o nome de Selassiê antes de sua coroação. O motivo disso é que a família de Bob Marley sabia, embora não aceitasse que o cantor recebera Jesus como seu Senhor e renegara o rastafarismo.


A jornalista Christine Thomasos do site Christian Today Austrália, cita uma entrevista de 1984 que o arcebispo Yesehaq deu ao jornal Jamaica Gleaner. “Bob era realmente um bom irmão, um filho de Deus, independentemente de como as pessoas olhavam para ele. Ele tinha o desejo de ser batizado há muito tempo, mas havia pessoas próximas a ele que tentavam controla-lo e que estavam ligadas a um ramo diferente do Rastafari. Mas ele vinha à igreja regularmente”.

De acordo com Thomasos, Yesehaq explicou que o câncer terminal de Marley foi a motivação por trás de sua conversão: “Quando ele visitou Los Angeles, Nova York e a Inglaterra, ele compartilhou sua fé ortodoxa, e muitas pessoas dessas cidades vieram à igreja por causa do Bob.


Muitas pessoas pensam que ele foi batizado porque sabia que estava morrendo, mas não foi assim. Ele fez isso quando já não havia qualquer pressão sobre ele. Quando ele foi batizado, abraçou sua família e chorou, todos choraram juntos por cerca de meia hora”.

Andre Huie, do site GospelCity, escreve sobre o testemunho de Tommy Cowan, amigo íntimo de Bob Marley e esposo da cantora gospel jamaicana Carlene Davis. Cowan diz: “o que pode ser uma agradável descoberta para alguns é que Marley, pouco antes de morrer, confessou Jesus Cristo como Senhor. Em outras palavras, ele negou que Haile Selassie era Deus (como Rastas acreditam) e confessou a Jesus como o único Deus vivo e verdadeiro”.


Falando sobre o batismo de Bob Marley, Tommy disse ter ouvido o bispo descrever assim o batismo: “Em um momento ele (Bob) chorou por 45 minutos sem parar, suas lágrimas molharam o chão. O Espírito Santo desceu sobre seu corpo e ele gritou três vezes: “Jesus Cristo, Jesus, meu Salvador, Jesus Cristo”.

Traduzido e adaptado de Guardian, Cristian Today e Beliefnet/GospelPrime

segunda-feira, 12 de março de 2012

Vidro ou Diamante


Um homem esperava para atravessar uma avenida quando um brilho na grama em que pisava chamou sua atenção. Deu uma olhada sem se abaixar e pensou "Deve ser um caco de vidro" e foi embora. Mais tarde outro homem na mesma situação percebeu o brilho, abaixou-se, pegou a pedra meio suja e viu que era talhada como um lindo diamante.

Parecia mesmo um diamante enviando raios luminosos com as cores do arco-íris quando colocado ao sol. O homem pensou " Puxa, será um diamante? Desse tamanho? Perdido aqui? Como veio parar aqui? Talvez eu devesse levar a um joalheiro pra ver ser é mesmo."

Olhava e olhava e de repente disse a si mesmo...

" Que idiota eu sou, imagina se isso é um diamante, só pode ser um vidro talhado em forma de diamante que caiu de algum anel de bijuteria. Porque um cara como eu iria achar um diamante? E se eu levar a um joalheiro ainda vou ter que aguentar a gozação do homem por eu ter achado que podia ser um diamante... Ha... logo eu ia achar um diamante assim... perdido numa grama...logo eu..."

E assim pensando jogou de novo a pedra na grama e atravessou a avenida até meio triste pela sua pouca sorte. No dia seguinte outro homem passando pelo mesmo lugar viu a pedra, atraído pelo seu brilho.

"Que beleza de pedra" ele pensou! "Parece um diamante, talvez até seja um diamante, mas também pode ser apenas um pedaço de vidro imitando um diamante... o melhor que tenho a fazer é levá-la a um joalheiro e pedir uma avaliação." E colocou a pedra no bolso.

Tendo levado-a para avaliação mais tarde descobriu ser um verdadeiro diamante, de muitos quilates e com uma lapidação especial. Era uma pedra muito valiosa! Realmente especial e o homem ficou muito feliz com a sua boa sorte!

Na nossa vida as vezes encontramos pessoas que são como esse diamante...valiosas! Pena que nem sempre nos damos o tempo para avaliá-las confiando na nossa primeira, e muitas vezes errônea, impressão,
ou simplesmente achando que nunca tivemos sorte, então, porque aquela pessoa apareceria justamente pra nós?

Pense nisso! Dê-se uma chance!
McMillian Gold

segunda-feira, 5 de março de 2012

A cenoura, O ovo e O café

Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir. Estava cansada de lutar e combater. Parecia que assim que um problema estava resolvido um outro surgia. Seu pai, um "chef", levou-a até a cozinha dele. Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto. Logo as panelas começaram a ferver. Numa ele colocou cenouras, noutra colocou ovos e, na última, pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra. A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo. Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás. Pescou as cenouras e colocou-as numa tigela. Retirou os ovos e colocou-os em outra tigela. Então pegou o café com uma concha e colocou-o numa xícara. Virando-se para ela, perguntou:

- Querida, o que você está vendo?

- Cenouras, ovos e café - ela respondeu.

Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras.

Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias.

Então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse.

Ela obedeceu e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura.

Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café.

Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso.

Ela perguntou humildemente:

- O que isto significa, pai?

Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, água fervendo, mas que cada um reagira de maneira diferente.

A cenoura entrara forte, firme e inflexível. Mas depois de ter sido submetida à água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil.

Os ovos eram frágeis. Sua casca fina havia protegido o líquido interior. Mas depois de terem sido colocados na água fervendo, seu interior se tornou mais rijo.

O pó de café, contudo, era incomparável. Depois que fora colocado na água fervente, ele havia mudado a água.

- Qual deles é você? - ele perguntou à sua filha.

Quando a adversidade bate à sua porta, como você responde?

Você é uma cenoura, um ovo ou um pó de café?

sábado, 3 de março de 2012

Vencer o próximo Round

"Peleja a boa peleja da fé, apodera-te da vida eterna, para a qual foste chamado..." (1 Timóteo 6:12).

"A Era moderna do boxe completa hoje 105 anos. No dia 7 de setembro de 1892, John Lawrence Sullivan e James J. Corbett disputavam pela primeira vez uma luta de boxe válida pela categoria dos pesos pesados, utilizando luvas de cinco onças.

Com a criação das novas regras - o máximo estabelecido era de 25 roundes - e a obrigatoriedade da utilização de luvas, os promotores da época escolheram o campeão John L. Sullivan para enfrentar James J. Corbett.

A luta foi realizada no Pelican Athletic Club, em New Orleans, Louisiana, Estados Unidos. Após 21 roundes, Corbett combinou um jab de esquerda com um direto de direita. Sullivan caiu e ouviu a contagem do juiz John Duffy." (Estado de S. Paulo-07/09/97)

Quando as coisas não iam bem para Corbett, ele usava um lema que ele mesmo criou: "Lute mais um round".

Muitas vezes lamentamos e reclamamos ser a nossa vida apenas de lutas. Mal nos livramos de uma e eis que outra se nos apresenta. O que fazer então?

Se levarmos em conta a quantidade de batalhas em nosso caminho, não teremos forças para enfrentá-las, mas se enchermos nosso coração de fé, olharmos para cima e segurarmos nas mãos de Jesus, então encararemos cada batalha como se fosse a última, confiando que próximo estamos da vitória final. Os que duvidam e desistem jamais chegarão a lugar nenhum. A vitória será sempre dos que crêem e seguem em frente.
Fonte: Ministério para Refletir

sexta-feira, 2 de março de 2012

Últimas notícias: Pr.Yousef Nadarkhani


Caso de pastor iraniano une as pessoas por liberdade religiosa


A luta para salvar a vida do pastor iraniano Yousef Nadarkhani, que foi condenado a morte no Irã em razão de sua crença em Jesus, está unindo as pessoas de todo o mundo e sensibilizando governos de todos os países.

Em muitas declarações, pessoas apelam para que o governo dos EUA intervenham junto ao governo do Irã para que libertem o pastor Yousef da prisão. Políticos americanos estão se manifestando com relação ao caso e dizem que a prisão de Yousef é “um ultraje contra a humanidade”.

Representantes de diversas religiões também estão se manifestando contra a prisão do pastor evangélico e pressionando o governo americano a ir contra a sentença dada contra Nadarkhani.

O governo brasileiro também se manifestou contrário a pena de morte que Yousef recebeu e já entrou em contato com o governo iraniano. Segundo informações, o pastor iraniano continua vivo e ainda não foi executado, como alguns tinham pensado. Membros da bancada evangélica se reuniram e pediram que o Ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, intervenha pela vida do pastor junto ao governo iraniano.

Nesse final de semana, realizaremos o Shockwave, que serão três dias de oração pelos nossos irmãos que sofrem com a perseguição ao redor do mundo. Por isso, convocamos você a orar pelo pastor Yousef Nadarkhani, para que ele possa ser libertado  o quanto antes.

Para mais informações sobre o Shcokwave, acesse: www.underground.org.br/shockwave

Quando o vento sopra contrário


"Navegando vagarosamente muitos dias e tendo chegado com dificuldade defronte de Cnido, não nos sendo permitido prosseguir, por causa do vento contrário, navegamos sob a proteção de Creta, na altura de Salmona." (Atos, 27.7)

Há momentos da nossa vida em que os ventos parecem ser contrários. Nada dá certo! Nada funciona! Tentamos, tentamos, mas não vamos a lugar nenhum porque os ventos nos são contrários.

Esta é a conclusão a que chega Lucas pelo fato de que nada estava dando certo na viagem de Paulo, que queria chegar a Roma, mas não estava indo a lugar nenhum.

Dois anos e meio preso, jogado de um lado para o outro, a vida andando em círculos, patinando, seus dias resumiam-se à vida monótona de uma cadeia.

Finalmente, parecia que tudo ia dar certo: ele conseguiu embarcar em um navio que estava partindo para Roma.

Diz o texto que os ventos voltaram a soprar contrário e a viagem de Paulo tornou-se mais um problema, mais uma dificuldade e mais uma provação.

O que fazer quando tudo parece conspirar contra a nossa vida? O que fazer quando, por mais que tentemos nós, não conseguimos ir a lugar nenhum? O que fazer quando em nossa vida os ventos sopram contrário, os céus estão blindados, Deus parece estar em silêncio e o nosso barquinho começa a ser açoitado pelas ondas da vida?

Esse texto nos dá algumas dicas preciosas para enfrentarmos esses momentos de crise:

Devemos reavaliar as nossas prioridades. A crise tem esse efeito didático em nossas vidas. ela nos leva a reavaliar as nossas prioridades. E é exatamente isso o que Paulo e seus companheiros de viagem fazem naquele momento crítico da viagem. Diz o texto que eles não tiveram receio de jogar fora os seus pertences (vv. 18, 19 e 38).

A crise nos leva a reavaliar as nossas prioridades. Ela nos faz ver aquilo que realmente é importante e aquilo que não é importante. Então quando o barco das nossas vidas estiverem sendo açoitados, é hora de revermos as prioridades, é hora de jogar ao mar aquilo que não tem muito valor e nos agarrar àquilo que realmente importa.

Devemos nos agarrar às promessas iniciais de Deus. O navio estava sendo açoitado de um lado para o outro, todo mundo desesperado, mas havia alguém sereno dentro do barco. Quem era? Paulo. Porque ele tinha uma promessa inicial de Deus, dita pelo anjo que aparecera para ele na noite anterior: ele, apesar de todas as dificuldades, iria chegar a Roma para testemunhar de Cristo perante o César.

Os ventos eram impiedosos, o navio estava se partindo, mas Paulo estava sereno porque sabia que Deus jamais deixou de cumprir as Suas promessas. Portanto, quando o barco de nossas vidas não estiver indo a lugar nenhum por causa dos ventos contrários, agarremo-nos às promessas de Deus, porquanto são infalíveis.

Devemos lembrar que Deus não promete sermos poupados de sofrer, mas nos promete sermos poupados no sofrer. Um anjo do Senhor aparece para Paulo, consola-o e anima-o. Porém, não o saca da tempestade. Dá ânimo, mas não lhe poupa do sofrer.

E aqui está o nosso privilégio em termos fé. Deus não nos poupa DE sofrer. Deus nos poupa NO sofrer. Não nos dá pernas ágeis para correr, nos dá ombros largos para suportar o peso da cruz.

Quando o barquinho das nossas vidas estiver sendo açoitado pelos ventos que nos são contrários, devemos sempre nos lembrar dessas verdades que nos dão a certeza de que nossas vidas estão seguras nas mãos do nosso Deus e que toda crise obedece a um propósito determinado dentro de Seu plano eterno.

Que Deus nos abençoe.
por Rev. José Kleber Fernandes Calixto

quinta-feira, 1 de março de 2012

Por que...

Por que tristezas? A vida é bela!

Por que desistir? A vida é uma continuação!

Por que lágrimas? A vida é um sorriso!

Por que amarguras? A vida é uma canção!

Por que ódio? A Vida foi feita para amar!

Por que intrigas? A vida é Paz!

Por que blasfemar? A vida foi feita para orar!

Por que mentir? A vida é uma verdade!

Por que sentir-se pobre? A vida é uma riqueza!

Por que sofrer? A vida é superação!

Por que temer? A vida é feita de Fé!

Por que fracassos? A vida é uma grande vitória!

Por que ofender-se? A vida é perdão!

Por que ser infeliz? A vida é uma grande felicidade!

Por que problemas? A vida é uma grande solução!

Por que trevas? Jesus Cristo nos dá à vida... Ele é nossa Luz!