Testemunhos

Dê Paquito a Missionário
Desde pequeno sempre estive envolvido com a música. Com 04 anos comecei a tocar piano, depois passei ao violão e a guitarra. Natural do Paraná, morando em São Paulo, quando tinha 11 anos minha família se mudou para Belo horizonte. Ali comecei a tocar em bandas, atuando a noite em churrascarias e também em outras casas, levando assim minha adolescência, ora tocando bateria, ora teclado ou guitarra. Meus pais eram espíritas kardecista.


Trabalhei por um período na TV Minas, no programa O POVO NA TV. Entrei como assistente de produção, passando ao júri e participando das caravanas com os artistas. Passei a checar e a repassar o som de todos os instrumentos, antes da apresentação dos artistas.


Aos 17 anos me surgiu a oportunidade de fazer o teste para o “Xou da (Maria da Graça)” na TV Globo. Na verdade estava faltando um paquito para cantar e completar o grupo. Meu intuito era me tornar o vocalista do grupo, só que visando uma carreira solo.
Fiquei quatro anos aproximadamente no programa de Maria da Graça, tendo feito filmes com ela, além de participar de turnês nacionais e internacionais.


São 05 (cinco) as áreas mais atacadas no meio artístico: prostituição, drogas, homossexualismo, espiritismo e alcoolismo. São fatais nesse meio e pelo menos em uma delas Satanás fará com que você caia. Eu entrei fundo na prostituição, espiritismo, satanismo.


Freqüentava todos os centros de umbanda, candomblé, magia negra, missa negra e vodu; fui convidado por uma comunidade da Ku Klux Kan, maçonaria; via óvnis e discos voadores; também tomei o santo Daime na Amazônia com o propósito de ver Deus.

Tinha em casa imagens de todo o tipo, desde aparecida até do tranca-rua. Era como eles dizem, um conga, eu tinha mais de 60 imagens, e sempre andava em minha bolsa com uma estátua do tranca-rua, um exu-caveira e maria padilha. Também vendi minha alma ao diabo. Cada vez mais me aprofundava na escuridão, porém Cristo me libertou e passei por um longo e árduo processo de libertação.

Quer saber mais detalhes Quer saber como me converti? Quer saber como foi minha libertação?
Entre em contato conosco, teremos o prazer de contar o testemunho em sua igreja.
Deus abençoe!

Ministério Guerreiro de Deus
55 (11) 3966-1070
alexandregiovana@uol.com.br
http://www.guerreirosdedeus.com.br/

-----------------------

Minerador chileno fala do milagre que Deus operou


O mineiro revelou que para ter sobrevivido até os primeiros 17 dias antes do contato já foi um milagre em si. Com apenas algumas latas de atum e biscoitos para o alimento, os homens aderiram em jejum obrigatório, por vezes, de até três dias, só para fazer a comida durar.

Quando se tornou evidente que só por um milagre poderiam ser salvos, foi Henrique, conhecido como o “pastor” do grupo, que se aproximou para guiá-los em oração. Os mineiros vieram de diferentes denominações e alguns eram ateus, mas todos os 33 participavam das reuniões de oração.

“Nós tivemos um grito de oração desesperada e um propósito juntos. Todos nós estávamos orando: Senhor abre uma porta de escape. Não há outro caminho a não ser que o Senhor o faça”, disse ele.
As reuniões de oração logo evoluíram para estudos da Bíblia, com a pregação de Henrique e com o canto em conjunto de canções de adoração. E continuaram a orar diariamente para que a presença de Deus começasse a ser sentida com mais força, Henrique lembrou.  “No começo foi um caos e desespero. Nós todos reagimos de maneiras diferentes. Mas através da oração Deus mudou o nosso coração e nós nos reunimos em um só propósito. Começamos a perder nossos medos e ganhar esperança”.
O primeiro grande teste de fé veio quando o primeiro exercício foi feito, mas ao invés de desistir, só incentivou-os a orar a Deus, ainda mais que ele iriam ajudar os socorristas  a localizá-los.
Quando a segunda broca veio para baixo, olharam e viram uma pedra no ângulo direito entrar com uma câmara, “todos, inclusive os ateus, concordaram que era um milagre”, disse ele.
Depois disso, os homens oravam duas vezes por dia. Comida, remédios, e as mensagens da família foram enviados para eles, mas foi quando cada um recebeu a sua própria pequena Bíblia que a mudança nos homens tornou-se ainda mais profunda.
“O estudo da Bíblia e pregação da palavra começou a mudar a vida como sempre faz”, disse Henrique.
A extensão da mudança foi tão evidente que as esposas dos mineiros começaram a dar testemunho de que seus maridos não xingam mais, mas sim tentam pregar para elas. Até o final da prova, 22 dos mineiros receberam Jesus como seu Salvador.“Ninguém pode negar que eles viveram por lá. Somos testemunhas do poder de Deus e o que Ele fez por lá”, disse Henrique.
Fonte: Christian Today

'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''

Mãe e filho morrem em trabalho de parto e voltam à vida momentos depois


Tracy Hermanstorfer estava no hospital, se preparando para o trabalho de parto, quando começou a sentir-se sonolenta. Recostou-se na poltrona e, sem que os médicos conseguissem achar o motivo, perdeu todos os seus sinais vitais: o coração parou de bater, ela parou de respirar e não havia pressão sanguínea em seu corpo.

O marido, Mike, acompanhava todo o processo e ouviu dos médicos que o melhor naquele momento seria retirar o bebê através de uma cesariana. Mas, para sua segunda surpresa, Coltyn saiu da barriga de Tracy completamente sem sinal de vida.“Senti que tudo o que eu tinha nesse mundo estava sendo tirado de mim”, relata Mike. Mas a terceira surpresa do dia foi que, depois de alguns instantes, os pequenos bracinhos da criança começaram a se movimentar e ele, enfim, começou a respirar.

Uma equipe médica tratou de cuidar da criança recém-nascida enquanto outra ficou tentando reanimar Tracy, que estava sem batimentos cardíacos. Misteriosamente e sem nenhuma explicação, ela voltou à vida momentos depois. “Não dá pra explicar porque o coração dela parou de bater e, alguns minutos depois, voltou à vida. Fizemos uma investigação rigorosa e simplesmente não conseguimos entender o que aconteceu.”, explica Stephania Martin, médica especialista em medicina materno-fetal do Hospital Memorial Colorado Springs, nos Estados Unidos, em entrevista ao tablóide britânico Daily Mail. Ela era uma das médicas que estavam presentes na sala no momento do parto.

“Eu e minha mulher temos fé em Deus. Mas mesmo uma pessoa que não acredite em milagres não terá argumentos para contestar o que aconteceu. Não houve explicação, é a mão de Deus”, diz Mike.

Hoje com o pequeno Coltyn em seus braços, Tracy diz não se lembrar de nada do que aconteceu. Ela apenas se recorda de ser tomada por um sono muito forte, de ter adormecido e, quando acordou, estava na sala de terapia intensive. Quando seu bebê crescer e tiver idade suficiente para entender o que acontece, ela pretende contar-lhe tudo. “Vou dizer que ele é meu milagre. E está aqui entre nós”, diz.
Fonte: site Rádio Cantares

'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''
Cristão é enterrado vivo, sobrevive, e agora testemunha o poder do Senhor Jesus.

Nigéria:

O dia 17 de janeiro será uma vívida memória de Ali Moses, 46, durante muito tempo. O ataque quase fatal contra a vida de Ali se transformou em um testemunho poderoso, destinado a tocar muitas vidas.


Naquela tarde, Ali estava indo para casa após um longo dia de trabalho. Ele havia recebido seu salário e, como nos seus outros dias de pagamento, Ali tinha planejado algo muito especial para sua família.
Em seu caminho para casa, Ali ouviu tiros. O pânico fez com que ele voltasse para o seu local de trabalho o mais rápido possível. Mas, antes de chegar lá, ele se encontrou com um grupo de muçulmanos furiosos. Eles estavam declarando o nome de Alá em árabe, gritando frases profanas, insultando o governador cristão de Jos e pedindo o extermínio dos cristãos.
Em segundos, Ali estava cercado pela multidão violenta. Ele levou muitos socos.
Mais de 18 horas depois, Ali acordou em um hospital. Seu corpo estava debilitado e coberto de ferimentos. O representante da Portas Abertas, Isaac,  foi visitar Ali no hospital logo depois do incidente, para levar encorajamento e ajuda e para saber sobre a agressão sofrida. Considerando o curso dos acontecimentos, parece que os agressores enterraram Ali vivo enquanto ele estava inconsciente.
Ali se refere à pessoa que veio ao seu encontro para lhe ajudar como “samaritano”. Na manhã seguinte ao acidente, Ado estava caminhando e notou algo que parecia ser um túmulo recente. Ele percebeu um movimento no monte de areia e se aproximou para verificar o que era. Para sua surpresa, ele constatou que era uma pessoa. Imediatamente, ele pediu ajuda.
A polícia militar retirou Ali da cova e o levou para o hospital. No início, os médicos pensaram que seria muito difícil que ele ainda estivesse vivo após 18 horas de sofrimento. Mas o testemunho de Ali faz os mais céticos refletirem.
Após passar algum tempo no hospital, Ali se recuperou completamente.
“Eu sou muito grato a Deus por salvar minha vida naquele buraco. É um milagre. Deus me resgatou de uma maneira muito especial. Para a Portas Abertas, que Deus lhes abençoe abundantemente por sua ajuda. Ele irá recompensá-los poderosamente. Agora eu creio que o poder da vida e da morte está nas mãos do Senhor. Toda graça pertence a Ele”.
Fonte: Portas Abertas
Tradução Deborah Stafussi

Nenhum comentário:

Postar um comentário